Você não possui itens no carrinho de compras.

Você não possui itens no carrinho de compras.

Loading..

Product was successfully added to your shopping cart.

5

Product was successfully added to your comparison list.

0 Com

ELAS QUEREM TER VOZ

A importância dos pequenos negócios na economia brasileira cresce a cada ano. 

Segundo pesquisa do Sebrae, realizada em 2014 e abordando o triênio 2009-2011, as 9 milhões de Micro e Pequenas Empresas (MPEs) já representam 27% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro, mais da metade dos empregos formais e um faturamento em torno de R$ 599 bilhões. 

Elas movimentam 53,4% do PIB no setor do comércio, 22,5% no da indústria e 36,3% no de serviços.

Do total de empresas estabelecidas no Brasil, 99,2% são de micro e pequeno porte. Apenas 0,8% são de médio e grande porte. 

No entanto, menos de 1% das empresas respondem pela enorme receita gerada pela publicidade no Brasil. São as grandes organizações. 

Para as 99,2% restantes não há atenção adequada por parte de profissionais e empresas de comunicação e publicidade, exatamente pelo fato de o setor envolver pequenas verbas e públicos locais.

Grande parte do alto índice de mortalidade precoce dos pequenos negócios se deve a essa crença de que somente as grandes organizações podem investir no aprimoramento das estratégias de comunicação.

Nada mais incorreto. No cenário atual, as MPEs que querem sobreviver e crescer precisam se valer de técnicas modernas de gestão e marketing a fim de enfrentar a concorrência acirrada, tanto a nível local quanto global.

O valor da conectividade

O mundo está cada dia mais conectado, a informação circula rapidamente pelas redes digitais e o consumidor já possui um perfil exigente na hora de fazer suas escolhas e consumir.

Portanto, não há como adiar as decisões. Para verificar a realidade digital dos pequenos empreendedores, o Sebrae realizou outra pesquisa  em 2014, sobre Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) nas MPE brasileiras.

Do total de entrevistados, verificou-se que 80% têm celular, 74% têm microcomputador (notebook/desktop), 14% têm tablet e 92% acessam a internet. Entre os que usam internet na empresa, as finalidades mais citadas são o uso do e-mail (88%) e a pesquisa de preços/fornecedores (68%).

A atividade nas redes sociais ainda é relativamente baixa. Apenas 32% das empresas têm perfil no Facebook, 25% têm página na internet, 5% têm perfil no Twitter, 3% no Instagram e 3% em outras redes (67% das empresas pesquisadas não estão em nenhuma rede social). 

Dentro do grupo que está nas redes sociais, 77% disponibilizam na rede seu catálogo de produtos/serviços, 48% têm espaço para reclamações/sugestões, 39% personalizam produtos/serviços, 32% apresentam seus preços, 26% oferecem reservas/vendas online e 22% fazem anúncio de vagas de trabalho. 

A pesquisa do Sebrae detectou também que 27% das empresas entrevistadas venderam produtos/serviços e 50% compraram produtos/serviçospor meio da internet nos últimos 12 meses.

Como demonstram esses estudos, o acesso ao mercado já está regulado por um novo modo de agir e conduzir as atividades empresariais, no qual a comunicação ocupa espaço estratégico no processo de gestão. 

Aos poucos, o Click&Comunique apresentará a você esse novo modelo de fazer negócios no século 21. Para começar, sugerimos que leia também o post Pequenos Gestos, Grandes Atitudes, na área de Negócios Sustentáveis. 

Ali vamos iniciar um diálogo que vai crescer a cada dia entre nós. Nos vemos lá!

Escreva seu review

É necessário estar logado para comentar

clique aqui para logar